17/09/2010

Nanny McPhee e as Lições Mágicas

Emma ThompsonEm 2005, Emma Thompson lançou nos cinemas um projeto bem pessoal: Nanny McPhee - A Babá Encantada. Baseado nos livros de Christianna Brand, o roteiro da própria Emma contava a história de uma babá diferente que colocava ordem em sete crianças com sua bengala mágica. Cinco anos depois, Emma Thompson retoma a personagem título, com um novo roteiro seu, só que agora dirigido pela diretora televisiva Susanna White. O resultado é encantador para crianças de todas as idades, apesar de os adultos poderem achar um pouco tolo ou exagerado em alguns momentos. Talvez por isso, as cópias que chegam ao nosso cinema são todas dubladas. O público está mais do que definido.

E não falo isso como um erro. É uma escolha e vamos analisar a partir dela. Nanny McPhee é uma mulher misteriosa que surge e desaparece como um passe de mágica. Não é encantadora como a lendária Mary Poppins, nem faz questão de o ser. Pelo contrário, sua aparência é de dar inveja a qualquer bruxa de contos de fadas. Com duas verrugas, um rosto deformado e um dentinho característico para fora dos lábios, Nanny se aproxima com sua frase emblemática: "Quando precisam de mim e não me querem eu fico. Quando não mais precisam de mim, mas me querem, eu vou embora". Quem vai querer que você fique? Pergunta uma das crianças. É mesmo difícil de acreditar vendo a primeira imagem da babá.

Nanny McPhee e as Lições MágicasDesta vez ela vai para o interior da Inglaterra, uma fazenda cheia de lama e fezes de animais, com uma casa simples onde moram Isabel Green e seus três filhos. A situação da família é assustadora. Com pouco dinheiro, o marido na guerra e um cunhado que tenta vender a fazenda a todo custo, eles ainda recebem dois hóspedes ilustres, os mimados primos da capital, que foram enviados pelos pais pelo medo das bombas de guerra. Sem saber o que fazer para conter as crianças, Isabel Green ainda tem que lidar com a patroa esclerosada Sra. Docherty. Aí é que surge a babá Nanny McPhee para salvá-la.

Nanny McPhee e as Lições Mágicas
Além da própria Emma Thompson, o filme está repleto de grandes nomes do cinema inglês como Ralph Fiennes e Ewan McGregor, ou mesmo a professora Minerva dos filmes de Harry Potter, Maggie Smith. Para viver Isabel, foi chamada Maggie Gyllenhaal, que acaba sendo o nome mais fraco do elenco. O destaque mesmo é a estrela Emma Thompson. Com sua atuação sempre entregue, despe-se da vaidade e constrói uma matrona grosseira que vai se despindo da feiúra a cada lição aprendida pelas crianças. Chega a ser um alívio poder ver seu belo rosto ao final do filme. O que não deixa de ser uma metáfora a medida que as pessoas vão gostando cada vez mais daquela figura esquisita.

Há cenas que são entretenimento puro para os pequenos, como um número de balé aquático feita por porcos enfeitiçados ou um desarmamento de bomba. E no geral, a aventura é coerente com a proposta fílmica. Bem produzida, com alguns clichês básicos e uma visão de mundo bem educativa. Criança tem que ser obediente, não brigar, saber dividir, ajudar ao próximo, ter coragem e ter fé. Quem não concorda com isso? Essa é uma boa forma dos pequenos aprenderem brincando. Se tiver filho ou sobrinho pequeno, leve-o ao cinema e embarque na aventura.


Amanda Aouad

Amanda Aouad é Mestre em Comunicação e Cultura Contemporânea pela UFBA, especialista em Cinema pela UCSal e roteirista de Ponto de Interrogação, Cidade das Águas e Vira-latas. É ainda professora de audiovisual, tendo experiência como RTVC e assistente de direção. Membro da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos e da Liga dos Blogues Cinematográficos.

7 opiniões:

Larissa Paim disse...

Puxa, esse eu quero ver! Ainda que eu não tenha sobrinhos para levar, ou filhos os primos - eu já usei minha irmã mais nova em situações como essa, mas ela cresceu... Eu gosto de Emma Thompson e é isso que vai me fazer ver o filme.

17 de setembro de 2010 13:08 Excluir comentário
Amanda Aouad disse...

Sei como é, Larissa. Vou a muito filme infantil e me sinto um peixe fora d´água por não ter crianças para me acompanhar... Mas, falei desse, porque a linguagem é muito infantil mesmo, é mais para elas. Também gosto muito de Emma Thompson e muita coisa vejo por causa dela. Veja o post de amanhã aqui no blog que você pode gostar.

bjs

17 de setembro de 2010 16:06 Excluir comentário
lolTUGAlol disse...

já vi os 2 e são engraçados!

17 de setembro de 2010 19:23 Excluir comentário
Wally disse...

Acho o primeiro muito legal, espero que este repita a "magia", com o perdão do trocadilho.

17 de setembro de 2010 19:43 Excluir comentário
Kamila disse...

Achei o primeiro uma boa diversão e o trailer do segundo me faz crer que isso continuará a ser visto na continuação. A conferir!

17 de setembro de 2010 19:50 Excluir comentário
Amanda Aouad disse...

Engraçado é, Loltugalol, mas não é dos meus preferidos.

Entendo, Wally, tem sua magia sim.


É a mesma fórmula, Kamila.

17 de setembro de 2010 23:30 Excluir comentário
Robin disse...

Apesar de gostar de Emma Thompson, confesso que esses não são minha preferência. Prefiro ela mais normal.

abraços

18 de setembro de 2010 00:15 Excluir comentário

Postar um comentário

Anterior Próximo Página Inicial
Related Posts with Thumbnails