27 de abr de 2012

A semana no Cinema

O Homem que Não DormiaContando os dias, os fãs da Marvel ansiavam pelo dia 27 de abril. Após muita expectativa estreia Os Vingadores e não decepciona os fãs mais afoitos. A madrugada foi longa para aqueles que não quiseram esperar os primeiros horários da sexta-feira e encararam a pré-estreia para o público à meia noite, como já é comum em grandes lançamentos. Como já tivemos boas matérias aqui sobre o filme e amanhã sai a crítica, deixemos apenas o gostinho de que é mesmo uma bela aventura, com todos os ingredientes necessários para o sucesso.

Permito-me, então, a falar um pouco mais nessa coluna sobre outro lançamento do dia. Com muito menos barulho, dinheiro e salas de exibição, chega aos cinemas de Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo o polêmico O Homem que Não Dormia do diretor baiano Edgard Navarro. O filme que teve sua avant premiére aqui em Salvador em julho do ano passado no Cine Futuro, e passeou por alguns outros festivais no país como Brasília e Tiradentes. E agora estará ao acesso do público em geral que poderá conferir todas as controvérsias já discutidas na mídia durante esse período. No dia 17 de abril, o diretor conversou com a imprensa após a coletiva do filme na Sala de Arte e buscou desmistificar algumas dessas polêmicas.

O Homem que Não DormiaSegundo Navarro, ele não quis em nenhum momento chocar o público com excesso de nudez, por exemplo: "tudo que está no filme são gestos naturais", ele afirma. Ainda segundo o diretor, uma das cenas mais comentadas negativamente (os dois cegos se masturbando) tem origem em uma citação de Buñuel, mas tem todo o sentido de ser. “Eles são iguais e são diferentes. Um é branco, um possível ex-coronel, que tem acesso à casa do patrão, bebe do seu uísque. O outro é um negro, pobre, que fica esperando na escada como um cão-guia. Mas, ali, naquela cena, eles demonstram que estão mais próximos do que imaginávamos. E mais do que isso, só um poderia dar ao outro aquilo que eles precisavam”. Poético, realmente, apesar de ser difícil compreender isso naqueles pequenos frames.

Navarro defendeu ainda a sua história, dizendo que não vê erros de roteiro ou condução. E que a cena final, com a catarse do padre possui o maior grau de emoção da história. De todos os personagens, ele foi quem mais se modificou, teve a sua revelação e só poderia terminar indo ao Pai. A brincadeira com o balão e o grito de abaixo a gravidade, foram mesmo referências ao padre baloeiro e ao filme SuperOutro, em que o outro personagem, também interpretado por Bertrand Duarte pula do Elevador Lacerda com esse grito. São dois gestos de libertação parecidos, mas o padre de O Homem que Não Dormia se liberta através da fé, em busca do pai, que é um simbolismo da libertação do próprio Navarro após esse filme que o perseguia.

Complexo e polêmico. Esperamos, sinceramente, que O Homem que Não Dormia possa ser recebido pelo público, e compreendido até o ponto em que imaginação e a sensibilidade permitam, como qualquer outro tipo de arte. Afinal, um filme só existe quando contemplado por sua plateia, já dizia Wilson Gomes em sua teoria de Análise Fílmica.

Notícias Rápidas

Valente
Saiu mais um trailer do filme Valente, nova animação Pixar – Diney, e promete instigar ainda mais os curiosos da dupla, com mais cenas sobre a jovem que quer ser guerreira, inclusive com um pequeno clipe no final, demonstrando que a Disney está colocando seu dedo na criação.


Javier Bardem e Santiago Zannou
Após experiência em Mar Adentro, Javier Bardem volta a trabalhar em um filme de Santiago Zannou. O diretor espanhol está prestes a rodar "Alacrán Enamorado", baseado no romance de Carlos Bardem (irmão de Javier), uma espécie de Romeu e Julieta moderno. No filme, Javier Bardem irá interpretar um ideólogo neonazista, que não é exatamente um vilão, como defende Zannou, mas "é uma dessas pessoas que verdadeiramente dão medo por ter um tipo de ideologia que separa às pessoas, que provoca violência. Pelo bem de todos, é melhor eu não fazer comparações", define o diretor que começará a rodar o filme a partir do dia 7 de maio, em Madri. (fonte)

The Beatles: The Lost ConcertThe Beatles: The Lost Concert
Os fãs dos Beatles podem comemorar. De acordo com o site Variety, estreia em maio deste ano o documentário "The Beatles: The Lost Concert" sobre o show que ocorreu em 1964 no Coliseu de Washington, nos Estados Unidos e que teve sua película perdida. A primeira exibição mundial será no dia seis de maio no Teatro Ziegfield, em Nova York. Mas, segundo a Screenvision, a estreia mundial será nos dia 17 e 22 de maio. Segundo ainda a Screenvision, as fitas originais foram restauradas e remasterizadas e agora podem ser exibidas. No filme estão entrevistas com Steven Tyler e Joe Perry, do Aerosmith, Chuck Berry, promotor de shows, Louise Harrison, irmã de George Harrison, e historiador dos Beatles, Bruce Spizer. Além da apresentação perdida com 12 músicas, incluindo "She Loves You" e "Twist and Shout". (fonte)

Estreias da Semana

Sete dias com MarilynAlém da grande estreia da semana, Os Vingadores - The Avengers, que já foi citado na abertura da coluna. E do filme baiano O Homem que Não Dormia, estreiam essa semana temos outros destaques.

A começar por As idades do amor de Giovanni Veronesi, filme italiano com Robert De Niro, Monica Bellucci, Ricardo Scamarcio no elenco, que traz três histórias sobre o amor em várias fases da vida. Também da Europa chega às telas brasileiras, Slovenian Girl de Damjan Kozole que conta o drama de Alexandra, uma estudante universitária que trabalha como prostituta para ter a vida que deseja, mas uma morte acidental a colocará em risco. Tem ainda Sonhos em Movimento de Rainer Hoffmann e Anne Linsel, sobre a coreógrafa Pina Bausch e os ensaios para sua primeira apresentação do Kontakthof, no Tanztheater Wuppertal.

Além disso, chega finalmente aos cinemas brasileiros o filme Sete dias com Marilyn de Simon Curtis que traz Michelle Williams no papel principal e figurou em diversas premiações do início do ano. A trama se passa durante as filmagens de O príncipe encantado, focando na tensa interação entre o diretor Laurence Olivier (Kenneth Branagh) e a estrela Marilyn Monroe pela visão do empregado Colin Clark, interpretado por Eddie Redmayne.



Humor
Clique para ampliar



Fica a Dica

O Homem que Nunca Tinha Ido ao Cinema
Quem ainda não viu esse belo comercial da Rede TeleCine, vale uma conferida. O curta ganhou três prêmios The New York Festivals International Television & Film Awards, com ouro nas categorias "Animation – Promotion/Open & IDs e "Art Direction – Promotion/Open & IDs", e prata em "Copywriting – Promotion/Open & IDs". O vídeo faz parte da campanha “Vá ao Cinema”, que tem o belo slogan de "nada se compara ao cinema", porque é isso mesmo. Não tem emoção maior do que ver um filme em seu ambiente correto. Pena que ele esteja cada vez mais maltratado.


Fan Page no Facebook
Nossa fanpage no Facebook está com uma novidade: o TOP FÃ. Agora podemos ver um ranking dos nossos seguidores que mais curtem, comentam e compartilham os nossos links. Fiquem ligados, porque em breve teremos algumas promoções feitas exclusivamente para os tops da lista.


Amanda Aouad

Amanda Aouad é Mestre em Comunicação e Cultura Contemporânea pela UFBA, especialista em Cinema pela UCSal e roteirista de Ponto de Interrogação, Cidade das Águas e Vira-latas. É ainda professora de audiovisual, tendo experiência como RTVC e assistente de direção. Membro da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos e da Liga dos Blogues Cinematográficos.

Anterior Próximo Página Inicial
Related Posts with Thumbnails